Magistrado recebe homenagem do TJCE

26 de junho de 2018 Visualizada 138 vez(es).

O Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) entregou, na última quarta-feira (20/06), o “Prêmio de Responsabilidade Social: Contribuição à Justiça Cearense” a parceiros envolvidos em projetos de ressocialização de apenados. A iniciativa tem à frente as Varas de Execução Penal do Fórum Clóvis Beviláqua e objetiva a capacitação e educação de pessoas que estão em cumprimento de pena. A solenidade foi conduzida pelo presidente da Corte, desembargador Gladyson Pontes, e contou com a presença de magistrados e de autoridades do Estado.

“Nós não fazemos tudo sozinhos. Precisamos de parceiros que são importantes para o êxito dos projetos. Acreditamos que premiar quem nos ajuda possa servir de efeito multiplicador e que outras pessoas acreditem nesse projeto e passem a integrar para que tenha maior alcance”, destacou o desembargador Gladyson ao ressaltar os números da iniciativa: “De 520 egressos participantes, apenas 18% voltaram a delinquir. Esses números demonstram que o programa é exitoso, o que por si só já é o suficiente para que acreditemos.”

Ao todo, 11 parceiros receberam placa de homenagem. Os homenageados foram as Secretarias da Justiça e Cidadania (Sejus) e da Educação, que têm como titulares respectivamente Socorro França e Rogers Mendes (representado na solenidade pelo chefe de gabinete do governador Élcio Batista); o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE), que tem à frente o engenheiro André Montenegro; a professora Amélia Rolim, diretora de Centro Educacional de Jovens e Adultos; o juiz Ricardo Barreto; César Barros Leal, representando a Creche Amadeu Barros Leal; Wallikson Girio, supervisor do Núcleo de Digitalização do Fórum Clóvis Beviláqua; Waleska Oliveira, do Núcleo de Execução Penal da Capital; Nohemy Ibanez e Antônia Alves, da Seduc; e Rita Gomes de Abreu (in memoriam).

ATUAÇÃO DOS PARCEIROS
Sejus e Seduc são parceiras dos projetos de ressocialização do Judiciário estadual. Sinduscon/CE atua como parceiro das ações de reintegração social.

Amélia Maria Moreira Rolim, professora do Estado, exerce o cargo de diretora do Ceja Professor Gilmar Maia de Souza. Foi diretora da Escola de Ensino Fundamental e Médio Luiza Távora e da Escola Municipal Rachel de Queiroz.

Ricardo de Araújo Barreto é juiz auxiliar da 5ª Zona Judiciária do Ceará. Presidiu a Associação Cearense de Magistrados – ACM (2012/2013) e foi vice-presidente da Associação Brasileira de Magistrados – AMB (2014/2016), apoiando e acompanhando o programa de ressocialização implantado pelas Varas de Execução Penal de Fortaleza.

César Oliveira de Barros Leal é representante da Creche Amadeu Barros Leal, que presta assistência social e educacional a crianças carentes, na faixa etária de 0 a 4 anos. Atualmente, atende a 152 crianças (metade delas filhas de presidiários ou egressos).

Wallikson Girio é diretor do Núcleo de Digitalização do Fórum Clóvis Beviláqua e colabora com o projeto “Justiça de Portas Abertas”. Os apenados beneficiados pela iniciativa atuam nos setores do Núcleo.

Rita Gomes de Abreu, falecida em fevereiro deste ano, foi voluntária por 51 anos na Justiça cearense. Acompanhou as atividades das Varas de Execução Penal, da instalação a atualidade, além de ter participado ativamente dos projetos de ressocialização das unidades.

Waleska Kalil de Oliveira, do Núcleo de Execução Penal do Fórum Clóvis Beviláqua. Nohemy Rezende Ibanez, que atua na Coordenadoria de Desenvolvimento da Escola e da Aprendizagem/Diversidade e Inclusão Educacional e conselheira estadual de Educação. Antônia Alves dos Santos, da Célula de Educação Continuada, Inclusão e Acessibilidade da Seduc.

Associação Cearense de Magistrados
Av. Santos Dumont, 2626 - Ed. Plaza Tower - Aldeota
Salas 1307 a 1311 - Cep: 60150-161
Tel/Fax: (85) 3264-8288
acmag@acmag.org.br