ASSOCIATIVISMO

ACM e AMB tratam sobre extinção de zonas eleitorais com parlamentares da bancada do Nordeste

21 de setembro de 2017 Visualizada 59 vez(es).

O encontro aconteceu na quarta-feira, 20 de setembro, durante um café da manhã promovido pela AMB

O presidente da Associação Cearense de Magistrados (ACM), Ricardo Alexandre Costa, juntamente com o presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Jayme de Oliveira, trataram com parlamentares da bancada do Nordeste no Congresso Nacional sobre o prejuízo que será causado à sociedade com a extinção das zonas eleitorais em todo o Brasil, determinada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O encontro aconteceu na quarta-feira, 20 de setembro, durante um café da manhã promovido pela AMB e contou com a participação do vice-presidente do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), Washington Bezerra, de diretores da AMB, presidentes de associações e de Tribunais Regionais Eleitorais.

Na conversa, Jayme salientou que fechar zonas eleitorais é um retrocesso, pois limita a capilaridade da Justiça. O magistrado mostrou aos parlamentares um mapa contendo a realidade de cada estado do Nordeste e salientou que é uma das regiões que mais sofrerá os efeitos da medida. Em princípio, a região perderá 117 zonas eleitorais. No Ceará, existem 123 zonas eleitorais e, para atender a determinação, 18 zonas serão extintas. Durante a reunião, os magistrados abordaram os impactos negativos e a busca de soluções para evitar danos ao eleitor e à Justiça Eleitoral.

A reunião contou com a participação do vice-presidente do TJCE, Washington Bezerra, de diretores da AMB, presidentes de associações e de Tribunais Regionais Eleitorais

O presidente da ACM destacou que a magistratura está se opondo à extinção de zonas eleitorais, entre outros aspectos, porque ela dificultará ainda mais o combate à corrupção, impactando diretamente contra a democracia e contra a lisura das eleições. “Essa interlocução com os representantes do povo, deputados e senadores, é de extrema importância para que possamos sensibilizá-los e sensibilizar também o TSE para evitar a perda de tantas zonas eleitorais”, avaliou Ricardo Alexandre.

“Nós temos muitas demandas que são decididas pelo Legislativo. E o rezoneamento é um assunto muito sensível, porque dá a impressão de que foram medidas tomadas sem planejamento. A economia de menos de um por cento do orçamento da Justiça Eleitoral é insignificante”, salientou o vice-presidente do TJCE, desembargador Washington Bezerra.

Na ocasião, o líder da bancada do Nordeste, deputado Júlior César (PSD-PI), agradeceu pela iniciativa da AMB e reafirmou posição contrária ao fechamento de zonas eleitorais. “No Piauí, há casos de eleitores que terão de percorrer 200 quilômetros para praticar qualquer ato em relação à Justiça Eleitoral. A economia de menos de um por cento é irrelevante para justificar a medida”, disse o líder da bancada.

Com informações da AMB.

Associação Cearense de Magistrados
Av. Santos Dumont, 2626 - Ed. Plaza Tower - Aldeota
Salas 1307 a 1311 - Cep: 60150-161
Tel/Fax: (85) 3264-8288
acmag@acmag.org.br